Arquivo da tag: diarices

eu não devia contar isso aqui. a inclusão digital e o google estão aí à todo vapor e é preciso ter cuidado com o que se diz da vida alheia.


mas eu PRECISO mesmo dar uma desabafada.


tem um cara aqui no trampo que tem uma PUTA duma mania de perseguição. por conta de uma insegurança absurda, ele vive gritando pra quem quiser ouvir que ele é ÓTIMO DEMAIS no que faz. ótimo, perfeito, the best of the best of the best. ok. só que ele é TÃO BOM, mas TÃO BOM, que TODO MUNDO sente inveja, inclusive o gerente da operação. aí, pra descontar essa inveja, o gerente invejoso o ENTOPE de atividades, pra que ele fique sobrecarregado e não dê conta do recado.


ok, até aí, vai saber, é possível, quer dizer, eu nem desacreditei nem nada. papo de escritório boring e tals.


como uma das minhas atividades aqui é gerenciar crises e essa operação É uma crise de cima a baixo, uma das coisas que eu fiz foi redistribuir as responsabilidades. um lance meio chato de se fazer e tals, mas que foi feito pronto acabou.


aí pronto. esse cara aí, ÓTEMO PROFISSIONAL (maiúsculas porque ele grita quando fala de si mesmo, quero que vocês VISUALIZEM a pessoa. DESCONTROLADA. e ÓTEMO PROFISSIONAL), ficou CHATEADO quando viu que eu diminuí as atividades dele. veja bem, CHATEADO. e foi lá resmungar com o chefe dele que, como ele GRITOU no meu ouvido um dia antes, tinha INVEJA e blá.


enfim. um cara completamente retardado.


agora que vocês já sacaram a coisa toda é que vem a parte interessante.


esse cara aí, o ÓTEMO PROFISSIONAL, teve um filho agora. pracabar de foder a humanidade mesmo. e o nome do cara, veja bem, não é dos nomes mais bonitos do mundo, sabe?


é composto e tals. (tou com medo do google).


o primeiro nome começa com WAN e termina com SON. um nome COMPRIDO começando com WAN e terminando com SON. o segundo nome começa com K. visualize. wan son k.


daí que esse cara, de tão ótemo profissional que é, resolveu se auto-homenagear. nem que isso custasse a auto-estima de toda uma geração seguinte, no caso, o filho que acabou de nascer. e colocou o mesmo nome desgraçado de feio no filho.


aí eu perguntei, meio com medo da resposta: é júnior então?


mas não. não é júnior.


É SEGUNDO. Wan-whatever-son K-whatever da SILVA SEGUNDO.


agora diz, dá pra exigir alguma coisa de um ser humano assim? se não ficar idiota feito o pai, já tá no lucro.


Anúncios

(daqui)

***

sono lascado por aqui, nem parece que foi feriado uns dias atrás. pra não perder o costume, digo que NEM O BBB eu tenho visto. NEM O BBB. vê que mundo cruel.

***

e a faculdade, que nem começou direito. MEDO de mim no final do semestre (ando literalmente descabelada e estamos em março. descabelada, sabe assim?).


não sei bem o que esperar desse ano com relação à faculdade. a formatura me parece tão distante e eu tenho TANTAS HORAS de atividades complementares pra fazer até dezembro que, de verdade, não sei. então não tou contando muito com isso. a formatura e tals. pode ser que eu me enrole até lá.


o curso também tá mais pra lá do que pra cá, se você quer saber. imagine que na grade curricular de 2006, quando eu entrei, a expectativa era ir do Cálculo Atuarial 1 ao Cálculo Atuarial 6.


no penúltimo semestre, estamos no Cálculo Atuarial 2. esqueceram de alguma coisa ou eu simplesmente dormi.


é meio triste dizer isso, mas nesse momento eu não consigo me importar.

***

temos professores novos em folha também. um deles tinha sido convocado pela faculdade para dar sua primeira aula duas horas antes de nos conhecer. imagina a animação da criatura. ANIMADO com maiúsculas.


um troço triste isso aí de professor recente. não sei se em todo lugar é assim, mas eles chegam tão confiantes no ser humano-aluno, que me dá vontade de chorar. de tristeza. de PRESSENTIR a queda.

***

sobre um assunto que eu não falo há tempos, mas continua tirando minhas noites de sono: a falta de lógica arquitetônica em banheiros coletivos.


depois de um abaixo assinado (pessoal lá na sala ADORA abaixo-assinado), mudamos de sala de aula. convenhamos que a sala anterior era uma verdadeira tortura. acho que eles dividiram umas salas antigas pra formar mais turmas e esqueceram de um detalhe mínimo: a ventilação. afinal de contas, PRA QUÊ janela? enfim, depois do auê mudamos de sala.


daí que as novas instalações são ventiladas, frescas, confortáveis e cheirosas*. só que. a janela do único banheiro feminino do andar dá pra DENTRO da nossa sala. JURO. e gente, o prédio é ótemo, tem quatro salas por andar e é SUPER silencioso. mas e se eu precisar cagar? soltar um peidinho? falar ao telefone? como faz? vou ter que compartilhar com a SALA TODA?


só sei que tou lascada. meu intestino é nada seletivo e obediente. ele QUER funcionar, ele VAI funcionar.


agora com platéia.

***

* isso aí já virou mentira. a sala era uma belezinha, ATÉ que parou de ventar e os ventiladores não funcionaram. na semana seguinte, as cadeiras meio confortáveis foram trocadas pelas cadeiras horríveis da sala anterior. eu que nunca vou mesmo, fico achando engraçada a situação. pessoal fico em POLVOROSA, vocês precisam ver. agora é esperar mesmo, o sérgio malandro aparecer e mostrar as câmeras escondidas. glu-glu e tals.