Arquivo do mês: março 2009

 

 

uma vez, na augusta, um daqueles chatos de galocha tentou me vender um livrinho de poesia. eu não gosto de poesia. quer dizer, gosto de pouquíssim@s poetas, mas eu francamente não tenho vontade de aumentar a lista de poetas querid@s, então me mantenho afastada mesmo, desse mundo maravilhoso e blá. enfim. o lance é que eu respondi educadamente – ah, obrigada, não gosto de poesia. pra ver se o vendedor ia tentar em outra freguesia mesmo, do tipo, go away, não perca seu tempo comigo. foi quando ele respondeu – não gosta de poesia? isso passa.

 

ah, mas vocês não imaginam como eu fiquei SANGUE NO ZÓIO. como assim isso passa?, é doença isso? fase? não gostar dessa porcaria rimada que você escreve com o pé esquerdo, impressa em papel de pão? mas francamente.

 

é claro que eu não fiz nada. foi mais uma daquelas reações tardias que eu costumo ter mesmo. fiquei oi? quando ele respondeu, a raiva eu só senti depois, quando já tinha ido embora. isso passa, mas que grande putamerda.

 

(diz pra mim, um troço tão complexo, como pode se dizer que GOSTA DE POESIA. significa o q isso? que gosta de poesia em geral? é tipo música, não é? gostar assim. quer dizer, não dá pra dizer eu gosto de música prum cantor sertanejo sem que ele interprete que você gosta da música DELE. se vem um cantor sertanejo perguntar eu respondo naturalmente – não, eu não gosto de música. a menos que eu tenho TEMPO e alguma VONTADE de estabelecer um diálogo – eu gosto de música x e y, mas não gosto da sua. mas é o tipo de coisa que eu não faço mesmo, estabelecer diálogo. tenho horror. então eu me recuso mesmo, a dizer que gosto de poesia pra qualquer um. pra evitar que alguém abra o caderno pra me mostrar umas coisas aí que andou escrevendo. MEDO que eu tenho dessas coisas.)

 

eu vi a cristiane torloni esse dias na novela fazendo uma personagem perua. em algum momento alguém oferecia um biscoitinho ou coisa assim e ela dizia – ah não, não posso, fecha a minha glote. e respondeu isso pro biscoitinho, pro suco, pro pãozinho e pro que mais ofereceram a ela. aí alguém (ou ela mesma, não lembro) explicou, que pra evitar que alguém pergunte se ela está de regime, ou insista pra que ela coma, acaba respondendo isso aí, que fecha a glote.

 

então tou adotando à partir de agora. poesia? ah não, obrigada, fecha a minha glote.

 

 

Anúncios

tenho um cliente importante no interior, que me faz acordar duas vezes por semana as 4h30 da madrugada pra pegar a estrada.

um cliente formado basicamente por engenheiros. do tipo cabeçudo da espécie, não do brucutu.

agora veja bem, pessoal tão bem informado, bem equipado, bem alimentado, trabalhando num complexo com pelo menos 10 prédios, distribuídos em kms de área útil e NÃO-TÊM-UM-BANHEIRO-DECENTE. juropordadá.

parece mentira, mas TODOS-OS-BANHEIROS do lugar têm cheiro de FOSSA. e não é aquele FEDORZINHO de não apertei a descarga ou ups, foi o feijão. nada disso. é uma catinga de FOSSA desgraçada 24h por dia. às vezes as tias tão lá, limpando bravamente, usando todo o estoque de água sanitária do estado de são paulo, e nada. a FOSSA continua lá.

e é impossível hein, ficar mais de dois minutos lá dentro. um minuto lá dentro. IM-PO-SSÍ-VEL. meu intestino, que nunca fez cú doce (tá, foi péssimo) pra funcionar em lugar nenhum, simplesmente TRAVA quando eu chego lá. nem xixi dá vontade de fazer.

fico imaginando as criaturas cabeçudas que trabalham naquele lugar todos os dias da semana. será possível não desenvolver uma prisão de ventre brutal? eu que não pago pra ver.

eu não devia contar isso aqui. a inclusão digital e o google estão aí à todo vapor e é preciso ter cuidado com o que se diz da vida alheia.


mas eu PRECISO mesmo dar uma desabafada.


tem um cara aqui no trampo que tem uma PUTA duma mania de perseguição. por conta de uma insegurança absurda, ele vive gritando pra quem quiser ouvir que ele é ÓTIMO DEMAIS no que faz. ótimo, perfeito, the best of the best of the best. ok. só que ele é TÃO BOM, mas TÃO BOM, que TODO MUNDO sente inveja, inclusive o gerente da operação. aí, pra descontar essa inveja, o gerente invejoso o ENTOPE de atividades, pra que ele fique sobrecarregado e não dê conta do recado.


ok, até aí, vai saber, é possível, quer dizer, eu nem desacreditei nem nada. papo de escritório boring e tals.


como uma das minhas atividades aqui é gerenciar crises e essa operação É uma crise de cima a baixo, uma das coisas que eu fiz foi redistribuir as responsabilidades. um lance meio chato de se fazer e tals, mas que foi feito pronto acabou.


aí pronto. esse cara aí, ÓTEMO PROFISSIONAL (maiúsculas porque ele grita quando fala de si mesmo, quero que vocês VISUALIZEM a pessoa. DESCONTROLADA. e ÓTEMO PROFISSIONAL), ficou CHATEADO quando viu que eu diminuí as atividades dele. veja bem, CHATEADO. e foi lá resmungar com o chefe dele que, como ele GRITOU no meu ouvido um dia antes, tinha INVEJA e blá.


enfim. um cara completamente retardado.


agora que vocês já sacaram a coisa toda é que vem a parte interessante.


esse cara aí, o ÓTEMO PROFISSIONAL, teve um filho agora. pracabar de foder a humanidade mesmo. e o nome do cara, veja bem, não é dos nomes mais bonitos do mundo, sabe?


é composto e tals. (tou com medo do google).


o primeiro nome começa com WAN e termina com SON. um nome COMPRIDO começando com WAN e terminando com SON. o segundo nome começa com K. visualize. wan son k.


daí que esse cara, de tão ótemo profissional que é, resolveu se auto-homenagear. nem que isso custasse a auto-estima de toda uma geração seguinte, no caso, o filho que acabou de nascer. e colocou o mesmo nome desgraçado de feio no filho.


aí eu perguntei, meio com medo da resposta: é júnior então?


mas não. não é júnior.


É SEGUNDO. Wan-whatever-son K-whatever da SILVA SEGUNDO.


agora diz, dá pra exigir alguma coisa de um ser humano assim? se não ficar idiota feito o pai, já tá no lucro.


(daqui)

***

sono lascado por aqui, nem parece que foi feriado uns dias atrás. pra não perder o costume, digo que NEM O BBB eu tenho visto. NEM O BBB. vê que mundo cruel.

***

e a faculdade, que nem começou direito. MEDO de mim no final do semestre (ando literalmente descabelada e estamos em março. descabelada, sabe assim?).


não sei bem o que esperar desse ano com relação à faculdade. a formatura me parece tão distante e eu tenho TANTAS HORAS de atividades complementares pra fazer até dezembro que, de verdade, não sei. então não tou contando muito com isso. a formatura e tals. pode ser que eu me enrole até lá.


o curso também tá mais pra lá do que pra cá, se você quer saber. imagine que na grade curricular de 2006, quando eu entrei, a expectativa era ir do Cálculo Atuarial 1 ao Cálculo Atuarial 6.


no penúltimo semestre, estamos no Cálculo Atuarial 2. esqueceram de alguma coisa ou eu simplesmente dormi.


é meio triste dizer isso, mas nesse momento eu não consigo me importar.

***

temos professores novos em folha também. um deles tinha sido convocado pela faculdade para dar sua primeira aula duas horas antes de nos conhecer. imagina a animação da criatura. ANIMADO com maiúsculas.


um troço triste isso aí de professor recente. não sei se em todo lugar é assim, mas eles chegam tão confiantes no ser humano-aluno, que me dá vontade de chorar. de tristeza. de PRESSENTIR a queda.

***

sobre um assunto que eu não falo há tempos, mas continua tirando minhas noites de sono: a falta de lógica arquitetônica em banheiros coletivos.


depois de um abaixo assinado (pessoal lá na sala ADORA abaixo-assinado), mudamos de sala de aula. convenhamos que a sala anterior era uma verdadeira tortura. acho que eles dividiram umas salas antigas pra formar mais turmas e esqueceram de um detalhe mínimo: a ventilação. afinal de contas, PRA QUÊ janela? enfim, depois do auê mudamos de sala.


daí que as novas instalações são ventiladas, frescas, confortáveis e cheirosas*. só que. a janela do único banheiro feminino do andar dá pra DENTRO da nossa sala. JURO. e gente, o prédio é ótemo, tem quatro salas por andar e é SUPER silencioso. mas e se eu precisar cagar? soltar um peidinho? falar ao telefone? como faz? vou ter que compartilhar com a SALA TODA?


só sei que tou lascada. meu intestino é nada seletivo e obediente. ele QUER funcionar, ele VAI funcionar.


agora com platéia.

***

* isso aí já virou mentira. a sala era uma belezinha, ATÉ que parou de ventar e os ventiladores não funcionaram. na semana seguinte, as cadeiras meio confortáveis foram trocadas pelas cadeiras horríveis da sala anterior. eu que nunca vou mesmo, fico achando engraçada a situação. pessoal fico em POLVOROSA, vocês precisam ver. agora é esperar mesmo, o sérgio malandro aparecer e mostrar as câmeras escondidas. glu-glu e tals.



uma das melhores surpresas de 2008 foi o show do money mark. já falei disso aqui, né? o lance é que eu realmente fico feliz de lembrar. que eu nem sabia do show nem nada e numa quinta qualquer fui ao sesc, pagando menos de dez reais pra entrar na choperia e vi um dos caras mais abraçáveis do mundo da música fazer um show leve, divertido e dançante. o lugar estava meio vazio também, o que sempre contribui pra diversão.


outra coisa que eu já disse. money mark = meu pai chóvem. é simplesmente inacreditável. cada vez que eu vejo uma foto do meu pai mais novo eu desconfio que sim, tenho um irmão mais velho por aí.


e não é um cara qualquer, veja bem. conhecido como o quarto beastie boy, produziu e trabalhou com montes de gentes por aí, de beck a jack johnson.


e como eu NUNCA consigo me decidir, MONTES de músicas pra ouvir.


o maravilhoso mundo dos felinos.






agora sim, bem vindos à 2009.

(a música é bem xexelenta, mas o clip fofo demais)