Arquivo do mês: novembro 2007

“tudo aquilo que um idiota diz que é urgente, é algo que algum imbecil não fez em tempo hábil e quer que você, o otário, se foda pra fazer em tempo recorde.”

encaminhado pela gonzaguinha.

story of my life.

Anúncios

nenhum tempo por aqui. e eu ando TÃO ansiosa que não quero meter os pés pelas mãos. semana que vem eu tenho TODAS as provas do mundo, então se não é o trabalho é a faculdade. a gastrite bombando. tudo normal, coisa de fim de ano e tals.

parece que todos os clientes, novos e antigos, resolvem diversificar investimentos perto do natal. aprovam tudo o que foi oferecido durante todo o ano. pra ontem.

mas eu prefiro assim. na correria.

***

entramos na temporada dos amigos secretos. e se tem uma coisa SEM NOÇÃO nessa vida é amigo secreto que PEDE o presente. aqui no trampo, há alguns anos atrás, teve um fulano que teve a PACHORRA de pedir DINHEIRO. assim, ele pediu pra depositar xis reais na conta dele porque ele ia INTEIRAR e comprar uma camisa de futebol. POBRE hein.

e eu SEMPRE me fodo com essa história de não pedir o presente. porque as pessoas acham que eu imprimo mau humor. e que mau humor imprime tristeza, frustração, sei lá. daí que eu vivo ganhando livros de auto-ajuda. juro. já ganhei blusinhas ridículas também. aquelas que se compra de baciada. mas ainda assim eu prefiro. rendem risadas e piadas internas até o próximo amigo secreto, pelo menos.

fora que tem o lance de ser chefe né. as pessoas acham que eu sou rica e tals. que cago verdinhas. e me convidam pra trocentos amigos secretos. e sugerem presentes de CINQUENTA mangos em cada um deles. o que logicamente está fora do meu orçamento. a-lôu que eu tenho família pra presentear nessa época do ano.

presente bom é presente pensado. pode ser um chaveirinho. mas um chaveirinho feito à mão, por exemplo. mas, né, tem que contar com o bom gosto do povo. ou pior. a NOÇÃO do povo. otimismo da minha parte.

***

na quinta ou sexta série eu participei de um amigo secreto na escola. e já naquela época eu não entendia esse lance de PEDIR presente. daí que eu ignorei os pedidos da minha amiga. acho que nem li os bilhetinhos e tals. e pra falar a verdade eu não dei A MENOR atenção praquela confraternização. no dia da festa peguei uns cd´s bizarros pra dar de presente. dois, na verdade. que meu pai ganhou numa promoção de posto de gasolina. tipo, abasteça e ganhe as 07 melhores músicas da programação jovem pan. música dance da pior categoria. enfim. tava lá com os cdzinhos lacradinhos. embrulhei e dei.

foi foda viu. a menina ficou EMBURRADA o resto da noite. acho que nunca mais nos falamos. e eu lá. com cara de ué.

demorei um tempão pra me ligar. da cagada. então hoje eu leio né. os bilhetinhos. e acabo comprando o que a pessoa pede.

o que não deixa de ser uma bosta.

ando viciada nessa música. leslie hall ruleia forte.

e o lance do mar vermelho véééi!

***

a prova

filme fofo, gente. super sessão da tarde. de chorar e tudo.

domingo à noite e eu pensando que devia começar a estudar inferência estatística. aí o telecine resolve me sacanear e coloca um filme desses. de matemáticos.

no final eu tava super animada pra abrir meus cadernos e mergulhar no maravilhoso mundo dos números. mas passou e eu fui dormir.

***

sábado rolou uma noite de imagem & ação. e fermentados e destilados. peguei parábola. e bêbada nunca que ia lembrar da parábola y = x2. lembrei da parábola narrativa e blá. quer dizer, mais ou menos. tentei desenhar parar + bola. um fracasso.

mas eu descobri a mímica de bueiro entupido :o) opa, desculpa, não é pra qualquer um.

todo um lance passa ou repassa, homens contra mulheres. nem preciso dizer quens perderam. i-é!

***

xô falar. tou com o contato de um cabelereiro in-crí-vel. que deixou meu cabelo fa-bu-lo-so esse final de semana. por um custo bai-xí-ssi-mo.

tá. parei.

mas é verdade. mr. leandro mãos de fado dá atendimento à domicílio por preços camaradíssimos. e não pense você que ele é um desses elementos sem-salão-vendo-o-corpo. não. ele trabalha em um salão chi-qué-rri-mo na avenida paulista. bafo. mas atende pessoas de bem em suas próprias casas pra não ter que cobrar aquelas taxas caríssimas de salão e embolsar as poucas e boas verdinhas.

minha família toda aderiu ao leandro.

então, se você quiser mudar as madeixas, pedir dicas de moda, falar mal da fernanda tavares… me avise. que eu dou o contato.

***

jogo1

jogo2

jogo3